VIAGEIROS Moto Turismo
Seja bem vindo ao Fórum Viageiros Moto Turismo.


Grande abraço!!!





Atenção: Ao se apresentar, não permitiremos a veiculação de propagandas e publicidades comerciais sem a expressa autorização da Administração do Fórum. Caso isso ocorra, as mensagens serão editadas/excluídas sem prévio aviso, e a reincidência poderá ocasionar a exclusão do usuário por violar as regras de utilização do fórum.

Para anunciar produtos e serviços, primeiro entre em contato com o Administrador do Fórum, enviando uma MP (mensagem privada) para ADMINISTRADOR

Últimos assuntos
» Thomaz se apresentando
Sex 04 Ago 2017, 11:12 por COXÃO

» Apresentação
Qua 19 Jul 2017, 12:10 por Rogerio Giglio

» Pedro se apresentando
Qua 19 Jul 2017, 12:09 por Rogerio Giglio

» Olá pessoal!
Qua 19 Jul 2017, 12:09 por Rogerio Giglio

» Falcão - Um nordestino na área!
Seg 24 Abr 2017, 11:36 por VG.ZUFFO

» Yuri se apresentando
Sex 07 Abr 2017, 14:09 por Yuri

» Nelson se apresentando
Qua 08 Mar 2017, 17:03 por Marçal Matsumoto

» antonio assis se apresentando
Ter 14 Fev 2017, 08:58 por COXÃO

» RETORNANDO
Ter 10 Jan 2017, 14:02 por MAROTTI

Setembro 2017
SegTerQuaQuiSexSabDom
    123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930 

Calendário Calendário


Pedro Massari: quem sou eu.

Novo Tópico   Responder ao tópico

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Pedro Massari: quem sou eu.

Mensagem por Edson Oliveira em Qua 12 Jan 2011, 10:50

Olá Professor Pedro Massari, Seja Bem-vindo! Very Happy Very Happy


Última edição por Edson Oliveira em Qua 12 Jan 2011, 11:57, editado 2 vez(es)

Edson Oliveira

Data de inscrição : 16/12/2009
Localização : São Paulo/SP
Emprego/lazer : Motociclista

Voltar ao Topo Ir em baixo

Obrigado

Mensagem por Professor Pedro Massari em Qua 12 Jan 2011, 11:33

Edson Oliveira escreveu:Olá Professor Pedro Massari, seja bem-vindo! Very Happy

Edson, obrigado pelas boas vindas. Este é um rico território de aprendizagens e construção de boas amizades.

Um abraço, Pedro.
cheers
avatar
Professor Pedro Massari

Data de inscrição : 25/12/2010
Idade : 63
Localização : Solidão - Mostardas - Rio Grande do Sul
Emprego/lazer : Professor - Ler, escrever, estar com pessoas agradáveis, praia, serra, viagens, fotografia...
Moto : Suzuki Intruder 125 vermelha

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pedro Massari: quem sou eu.

Mensagem por Edson Oliveira em Qua 12 Jan 2011, 11:55

Professor Pedro Massari escreveu:
Bueno: afinal, quem sou eu? Gaúcho de Porto Alegre, moro numa pequena cidade litorânea chamada Mostardas, sou Professor de Língua Portuguesa da rede estadual, gosto de livros e de leituras, de escrever, de fotografar, de mar, de serra com muito verde, de sair pelas estradas em duas rodas para curtir a paisagem, conhecer lugares e gente interessantes.


Sim, é isso mesmo Very Happy

É um grande prazer conhecê-lo. Além de seu extremo bom gosto, notei que suas mensagens, não só as postadas aqui, mas, também no motoscustom, são sedentas em compartilhar seus vastos conhecimentos, tanto os científicos, quanto os pessoais.

De igual forma, também acredito que ninguém é tão sábio que não possa aprender mais, nem tão desprovido de inteligência que não possa nos ensinar algo.

Por tais razões, já tens mais um admirador. Eu!

Para encerrar, como já pregava o Educador Francês, Jean Baptiste Henri Dominique Lacordaire, "Três elementos são capazes de fazer feliz uma pessoa, Deus, um amigo e um livro."

Por este prisma, concluo que sou uma pessoa feliz, e quero partilhar desta felicidade com o Ilustre Professor e os demais Amigos deste fórum! Very Happy


Edson Oliveira

Data de inscrição : 16/12/2009
Localização : São Paulo/SP
Emprego/lazer : Motociclista

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pedro Massari: quem sou eu.

Mensagem por Professor Pedro Massari em Qua 12 Jan 2011, 23:24

Edson Oliveira escreveu:Para encerrar, como já pregava o Educador Francês, Jean Baptiste Henri Dominique Lacordaire, "Três elementos são capazes de fazer feliz uma pessoa, Deus, um amigo e um livro."


Edson, obrigado pelas tuas palavras.

Apesar das dificuldades pelas quais estou passando, sou um cara feliz e renovo esta felicidade toda manhã, quando abro as janelas e deixo o dia entrar. Estou vivo para dar bom dia ao dia e agradeço a Deus por isto.

Livros, tenho-os aos milhares, embora meus originais estejam todos dentro de um armário esperando o dia-de-são-nunca para se transformarem em livros...

Amigos? A duras penas, Edson, a vida de um depressivo vai mostrando quem de fato é "amigo", e, por paradoxal que pareça, é através destes sítios que reúnem motociclistas do Brasil todo que estou ampliando o leque de amizades espraiadas pelos diversos rincões, exatamente o contrário do que vem acontecendo neste lugar.

Os textos são necessários à comunicação entre nós, então me sinto feliz, porque graças a Deus aproveitei as escolas que meus pais me deram, tentando expressar-me de forma clara, para que qualquer um entenda, embora eu não seja conciso, acreditando, às vezes, que "mato de cansaço os viventes" com tantas palavras... O homem desta Era Pós-modernidade tem pressa, não tem tempo para grandes leituras... entre outras coisas.

Fico agradecido, claro, com mais um admirador. Tudo isto, de certa forma, se tornará uma "obrigação" de cavar coragem lá no fundo d'alma, nunca pensar em milhares de quilômetros, porém nas centenas - e de centena em centena, chego ao milhar -, sabendo que ainda há chão pela frente, que precisa ser percorrido com o mesmo entusiasmo dos primeiros minutos do passeio, da viagem, da aventura.

Li, certa ocasião, em uma destas revistas nacionais de motociclismo, uma reportagem sobre um senhor de 80 (ou pouco mais) que fazia uma longa viagem sobre nada mais nada menos que uma Honda Gold Wind (sempre confundo este nome, mas é aquela motocicletona estradeira da marca da asa).

Aquelas imagens, aquela história estão gravadas na minha memória e vem à tona toda vez que fraquejo, que me sinto envelhecido, cansado, que minha sina é andar nesta b... de estrada que em parte liga Nada à Coisa Alguma, que preciso andar mais de 160 km, para o sul ou ao norte, a fim de que encontre a civilização.

Às vezes me pergunto por que ainda teimo em observar todos os detalhes deste caminho que poderão ajudar aos que nele desejem rodar, se as próprias autoridades (in)competentes não estão "nem aí". Que os dois grupos que reúnem motociclistas e jipeiros daqui não se unem para exigir melhoras definitivas neste asfalto infernal que afasta os turistas, e muitos sugerem, como tenho lido, que usem a BR 116, Pelotas - Porto Alegre, ao invés desta BR 101 que, apesar dos pesares, tem seu próprio e até romântico charme.

Só uma coisinha: eu não sou daqui. Sou um ET pare eles, e minhas opiniões nunca são ouvidas nem levadas a sério, por isto já nem me importo com o que fazem ou não. Quando os 4J customeiros, agora decerto já na Argentina, passarem por aqui, se passarem, muita gente há de arregalar os olhos, pois a inveja não lhes permite ver que os outros também tem o direito de ter amigos de muito longe.

Em qualquer lugar civilizado, pequeno ou gigantesco, o normal é os visitantes serem recepcionados por um grupo local que até oferece local para pernoite, o churrasco etc.

Mesmo assim, porque a Natureza não merece este desprezo, eu convido vocês a passearem com suas motocicletas por estas bandas; um pouco de retorno ao tempo, onde o pequeno, o devagar, o desconfortável, o bife duro da A la Minuta fazem parte do dia-a-dia.

Talvez seja por isto que, apesar do descaso em relação ao asfalto dentro do município mostardense, já que os outros trechos estão bom, me identifico com esta gente humilde e pobre que encontro nos postos de gasolina, nos bares da estrada, enfim. São pessoas desconfiadas, às vezes, porque muitos vivarachos andam por aqui enganando pessoas ingênuas, mas se bateres em alguma porta, decerto alguém virá para tentar te ajudar, trarão a água, se pedires.

Bueno, quando dizem nestes fórums que tem a aprender comigo, fico a cismar: o quê?
Da minha curta experiência como motociclista não tenho muito a ensinar, mas posso fazer de uma viagem curta, como Mostardas-Rio Grande, por exemplo, cheia de problemas na volta por causa de uma chuva guasqueada com forte vento, quase um livro inteiro...É o mínimo que posso oferecer àqueles que gostam de leituras as quais envolvam motocicletas - nem que esta tenha sido uma Biz 100...

É isto aí. Deixo-te um abração e, enquanto estiver neste lugar, aguardarei que cheguem em bandos como as aves migratórias que povoam e embelezam a Lagoa do Peixe. Avisarei, claro, quando estiver me mudando para outras bandas.

Pedro

P.S.: Quando tiver minha nova motocicleta, gostaria de fazer parte deste grupo e terei prazer em colar adesivos dele no bauleto.[b][justify]

Bueno, depois de 3.497 tentativas de formatar esta coisa do jeito que gosto sou obrigado a desistir... scratch Evil or Very Mad Evil or Very Mad



Última edição por Edson Oliveira em Qui 13 Jan 2011, 12:45, editado 1 vez(es) (Razão : Formatação - Negritado e Justificado pelo Moderador)
avatar
Professor Pedro Massari

Data de inscrição : 25/12/2010
Idade : 63
Localização : Solidão - Mostardas - Rio Grande do Sul
Emprego/lazer : Professor - Ler, escrever, estar com pessoas agradáveis, praia, serra, viagens, fotografia...
Moto : Suzuki Intruder 125 vermelha

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pedro Massari: quem sou eu.

Mensagem por Edson Oliveira em Qui 13 Jan 2011, 12:41

Professor Pedro Massari escreveu:
Felicidade toda manhã, quando abro as janelas e deixo o dia entrar. Estou vivo para dar bom dia ao dia e agradeço a Deus por isto.

Livros, tenho-os aos milhares, embora meus originais estejam todos dentro de um armário esperando o dia-de-são-nunca para se transformarem em livros...

Amigos? A duras penas, Edson, a vida de um depressivo vai mostrando quem de fato é "amigo", e, por paradoxal que pareça, é através destes sítios que reúnem motociclistas do Brasil todo que estou ampliando o leque de amizades espraiadas pelos diversos rincões, exatamente o contrário do que vem acontecendo neste lugar.




Professor,

Meu pai já me dizia que a vida é para ser vivida um dia de cada vez. Falar é fácil, mas, eu também estou tentando Laughing
Permita-me escrever uma das coisas que faço nas muitas horas difíceis que sou obrigado a enfrentar:
"Quando não houver vento, reme" Wink

Desejo, sinceramente, que supere o mais breve possível, todas as suas dificuldades.
Como já percebeu, o motociclismo nos proporciona muitas alegrias e oportunidades de enxergarmos a vida por outros ângulos. Tanto é assim, que os verdadeiros amigos vão surgindo na medida em que vamos compreendendo este raciocínio.

Professor Pedro Massari escreveu:
Os textos são necessários à comunicação entre nós, então me sinto feliz, porque graças a Deus aproveitei as escolas que meus pais me deram, tentando expressar-me de forma clara, para que qualquer um entenda, embora eu não seja conciso, acreditando, às vezes, que "mato de cansaço os viventes" com tantas palavras... O homem desta Era Pós-modernidade tem pressa, não tem tempo para grandes leituras... entre outras coisas.

Fico agradecido, claro, com mais um admirador. Tudo isto, de certa forma, se tornará uma "obrigação" de cavar coragem lá no fundo d'alma, nunca pensar em milhares de quilômetros, porém nas centenas - e de centena em centena, chego ao milhar -, sabendo que ainda há chão pela frente, que precisa ser percorrido com o mesmo entusiasmo dos primeiros minutos do passeio, da viagem, da aventura.

Li, certa ocasião, em uma destas revistas nacionais de motociclismo, uma reportagem sobre um senhor de 80 (ou pouco mais) que fazia uma longa viagem sobre nada mais nada menos que uma Honda Gold Wind (sempre confundo este nome, mas é aquela motocicletona estradeira da marca da asa).

Aquelas imagens, aquela história estão gravadas na minha memória e vem à tona toda vez que fraquejo, que me sinto envelhecido, cansado, que minha sina é andar nesta b... de estrada que em parte liga Nada à Coisa Alguma, que preciso andar mais de 160 km, para o sul ou ao norte, a fim de que encontre a civilização.

Às vezes me pergunto por que ainda teimo em observar todos os detalhes deste caminho que poderão ajudar aos que nele desejem rodar, se as próprias autoridades (in)competentes não estão "nem aí". Que os dois grupos que reúnem motociclistas e jipeiros daqui não se unem para exigir melhoras definitivas neste asfalto infernal que afasta os turistas, e muitos sugerem, como tenho lido, que usem a BR 116, Pelotas - Porto Alegre, ao invés desta BR 101 que, apesar dos pesares, tem seu próprio e até romântico charme.

Só uma coisinha: eu não sou daqui. Sou um ET pare eles, e minhas opiniões nunca são ouvidas nem levadas a sério, por isto já nem me importo com o que fazem ou não. Quando os 4J customeiros, agora decerto já na Argentina, passarem por aqui, se passarem, muita gente há de arregalar os olhos, pois a inveja não lhes permite ver que os outros também tem o direito de ter amigos de muito longe.

Quanto a falta de vontade de leitura dos homens, já pregava Monteiro Lobato, "Quem mal lê, mal ouve, mal fala, mal vê".

Sobre a ineficiência do Poder Público, também sonho com dias melhores para todos. No entanto, precisamos, em massa, utilizar melhor uma de nossas poucas armas secretas constitucionais, o famigerado VOTO.

No que diz respeito àquela motocicletona, sei bem qual é. Realmente é uma bela moto, mas ela é igual a algumas mulheres bonitas, só é bom para quem olha ou usa de vez em quando, mas para quem anda com ela diariamente e tem de mantê-la... hum... e é claro que essa é a minha opinião (risos).

Quanto aos 4 J, também são nossos companheiros de estradas. Creio que já percebestes, serem eles, motociclistas paulistanos de primeira grandeza. Mas, tem um lá, mais irriquieto e de prosa mineira feito pão de queijo quentinho, que, ao brindar com sua intrépida latinha (gelada) daquela água com cevada e lúpulo, consagrada por "descer redondo" certamente lhe dirá, "que nunca falte, nem faça mal". Sendo assim, quando nossos cavaleiros visitarem o eminente professor, faça menção a esta humilde mensagem, e, pela emoção da lembrança de que há muitos amigos torcendo pelo sucesso de tal empreitada, logo descubrirás a quem me refiro. Que Deus continue com eles, tal qual, está sempre conosco nos abençoando por levar a Bandeira do Motociclismo Pátrio a outros países da América do Sul.


Professor Pedro Massari escreveu:
Em qualquer lugar civilizado, pequeno ou gigantesco, o normal é os visitantes serem recepcionados por um grupo local que até oferece local para pernoite, o churrasco etc.

Mesmo assim, porque a Natureza não merece este desprezo, eu convido vocês a passearem com suas motocicletas por estas bandas; um pouco de retorno ao tempo, onde o pequeno, o devagar, o desconfortável, o bife duro da A la Minuta fazem parte do dia-a-dia.

Talvez seja por isto que, apesar do descaso em relação ao asfalto dentro do município mostardense, já que os outros trechos estão bom, me identifico com esta gente humilde e pobre que encontro nos postos de gasolina, nos bares da estrada, enfim. São pessoas desconfiadas, às vezes, porque muitos vivarachos andam por aqui enganando pessoas ingênuas, mas se bateres em alguma porta, decerto alguém virá para tentar te ajudar, trarão a água, se pedires.

Bueno, quando dizem nestes fórums que tem a aprender comigo, fico a cismar: o quê?
Da minha curta experiência como motociclista não tenho muito a ensinar, mas posso fazer de uma viagem curta, como Mostardas-Rio Grande, por exemplo, cheia de problemas na volta por causa de uma chuva guasqueada com forte vento, quase um livro inteiro...É o mínimo que posso oferecer àqueles que gostam de leituras as quais envolvam motocicletas - nem que esta tenha sido uma Biz 100...

É isto aí. Deixo-te um abração e, enquanto estiver neste lugar, aguardarei que cheguem em bandos como as aves migratórias que povoam e embelezam a Lagoa do Peixe. Avisarei, claro, quando estiver me mudando para outras bandas.

Pedro

P.S.: Quando tiver minha nova motocicleta, gostaria de fazer parte deste grupo e terei prazer em colar adesivos dele no bauleto.[b][justify]

Bueno, depois de 3.497 tentativas de formatar esta coisa do jeito que gosto sou obrigado a desistir...



Caro Professor,

Temos muitos amigos de grandes quilates aí no Sul, além do senhor, agora, é claro. Eles também são atuantes no motoscustom e aqui em nosso fórum. Posso até citar alguns, como por exemplo, o Jadir (Canoas), o Caverna (Cachoeirinha), o Kings (Porto Alegre), o Estradeiro Rider (Navegantes/SC), O Sky (Curitiba), entre muitos outros que citarei de forma gradativa. Todos, ao menos uma vez por ano, sobem as serras para nos visitar e, como não poderia deixar de ser, nos reunimos para um belo churrasco para celebrarmos as ilustres visitas.

Desde já, está convidado para participar conosco quando puder. A forma de seu deslocamento não importa, venha de moto, ônibus, avião, carro, trem, navio, charrete, bicicleta, ou outro meio de transporte que preferir. Basta acompanhar as nossas agendas de passeios.

Sobre a sua curta experiência como motociclista, saiba que tenho moto desde muito cedo, mas, ainda não consegui conhecer o Brasil com ela, como gostaria. Entretanto, nem por isso me julgo expert no ramo, eis que, experiência sobre duas rodas é uma qualidade relativa. É comum lermos relatos de pessoas que se dizem "muito experientes", mas, de repente acaba morrendo cedo ou se acidentando inúmeras vezes por abuso e excesso de confiança, e por aí vai. Então pergunto, "ué, cadê toda aquela experiência?" Costumo dizer que a cada saída de moto, sempre aprendemos algo diferente para nos ajudar a refletir de forma permanente. Saiba que sinto medo de andar de moto até hoje, mas quando estou pilotando, procuro aplicar tudo o que aprendo diariamente e o medo, não vai embora, mas é dominado. Isso acontece desde uma simples volta no quarteirão, até um deslocamento de 1000 quilômetros.

Quanto ao convite de aparecer por aí, saiba que nunca digo "não vai dar", pois, a vida muda o tempo todo. Sempre digo "Quando tiver uma oportunidade apareço". Aguarde e verás! E não te preocupes com o "rango", se o bife estiver duro, que nos fritem ovos Smile

Sobre ter uma motocicleta para fazer parte do grupo, lembro-lhes que o nosso lema é "Amizade não se mede em cilindradas", portanto, estaremos aqui para recebê-lo. Inclusive, se quiser um adesivo do nosso grupo para, ao menos por enquanto, hasteá-lo no computador, num quadro, enfim, onde quiser, basta informar seu endereço por mensagem particular (MP) que terei imenso prazer em enviá-lo pelo Correio.

Finalmente, sobre a formatação desejada, diga-me, qual é sua dificuldade? Quem sabe poderei ajudá-lo.

Caro Vivente, a vida muda o tempo todo e nos vai agregando valores, e a soma deles, resulta na tal experiência relativa que prego.

É como penso, ao menos até agora... Laughing

Um grande abraço,
Edson


"Tenha bom ânimo e coragem. Você vencerá todas as dificuldades. A vida apresenta-nos, às vezes, problemas difíceis. Jamais desanime, você há de vencer todos os problemas que se lhe apresentarem. Se o problema for complexo, divida-o em partes, e vença cada uma delas separadamente.
Não desanime jamais!!!"

P.S.: Trecho retirado do livro "Minutos de Sabedoria". Obra do autor Carlos Torres Pastorino.







Edson Oliveira

Data de inscrição : 16/12/2009
Localização : São Paulo/SP
Emprego/lazer : Motociclista

Voltar ao Topo Ir em baixo

Edson

Mensagem por Professor Pedro Massari em Qui 13 Jan 2011, 18:40

Edson,
então encontrei um companheiro de muitas - e bonitas e boas - palavras!

Sim, responderei à mensagem sem o tal de "quote" pela trabalheira que dá. Quanto à formatação do texto neste troço aqui, particularmente gosto de justificado, negrito, fonte Georgia, cor vermelha.

Gosto tanto de vermelho, deste tom da Ferrari, da Coca-Cola, da bandeira da China que o bordô não me agrada. Preto e prata, também não. O curioso é que algumas marcas de motocicletas custom só oferecem o tal de preto! A Mirage 150 tem um azul bem simpático e aparecerá melhor nas fotografias que as outras duas cores escuras, razão por que estou optando por ela.

Buenas, falando em Mirage 150, e não estou fazendo propaganda aqui, tenho lido opiniões no sentido de ser mais interessante comprar uma motocicleta com mais motor e usada do que uma zero quilômetro com apenas 150cc.

Hoje isto vale para mim em relação ao automóvel, pois realmente andar num sem ar condicionado em dias de verão não há quem suporte, mas na motocicleta o vento será o mesmo. A usada dependerá de certa sorte, será mais pesada, portanto para um cara de baixa estatura e não lá muito forte, pesadona, enquanto uma zero 150 é feita sobmedida para mim que tem a necessidade psicológica de apoiar as plantas dos pés no chão, não só a unha crescida do dedão...

Quanto às minhas dificuldades, são elas financeiras em decorrência das crises depressivas que me impediram de ir à bendita escola e burocraticamente levar a papelama de médico psiquiatra "em tempo", resultando no óbvio corte de efetividade e salário.

Nestes meses todos de penúria, aprendi muita coisa - e melhor, longe do consultório! - incluindo uma compreensão madura deste Deus maravilhoso que é, sem dúvida, quem me mantém vivo.

Aprendi a ter paciência, a viver com menos de um salário mínimo, porém o que me incomoda nisto tudo não é o apertume e sim não poder pagar contas que ficaram pendentes, como a da motoneta que foi vendida para cobrir o que ainda faltava. Fiquei a pé, mas matei esta dívida....

Daí, para alguns, por isto aqui nada comento com ninguém, pensar em comprar uma moto nova parecerá mero sonho, mas eu sei como isto acontecerá e, obviamente, não me atirarei de ponta cabeça no tal de precipício da ânsia na primeira loja que encontrar.

Não! Eu venho "namorando" umas e outras. Mal comparando às mulheres, algumas destas são muito bonitas, mas só beleza - embora para Vinícius de Moraes ela seja fundamental - não é tudo, precisa ter também conteúdo, e, isto, na motocicleta, para mim, é o preço, é o tamanho, é a altura do banco, é a economia entre outros aspectos.

Assim, não aspiro e nunca aspirei a uma Gold Wind nem a uma Electra Gilda (?) ou outro mastodonte assim, muito pelo contrário, prefiro "las chiquititas". Ela não precisa ser "vistosa" para os outros babarem, mas pelo menos simpática. Não acho a M 150 a 9ª maravilha do mundo, inclusive há uma foto de uma Intruder 125 feita para os do Primeiro Mundo, no custom ponto com, que é uma maravilha de motocicleta! Bueno, quem não tem cão caça como gato... e a 150 me serve inclusive no bolso, e, contrariando a opinião alheia, não é motocicleta só para ir à praia ou ao supermercado. Pelo contrário: ela irá onde eu quiser ir, devagar e sempre, inclusive nas marginais do Tietê (devidamente escoltado por umas 1500 motos de vocês...) e depois, quem sabe?, para mais adiante, e mais ainda, pois, para mim, e descobri isto andando em motocicleta, o destino é o horizonte!

Sabes de uma coisa? "Sonhar" com a motocicleta nova se assemelha ao sonho do piá com a nova bicicleta do Natal... Mas o sonho materializa-se dentro das possibilidades materiais, de maneira que acredito, sim, ter sonhos. Eles embalam a vida e empurram-na à frente. Só não tem sonhos quem já morreu, e muitos que ainda estão vivos já morreram e não sabem... Ora, sonho, sim, com ela, porque neste lugar é ultranecessário ter um meio de locomoção próprio, e, como já não estou tão interessado em automóvel - a menos que encontrasse um que fizesse 40 km/l - por causa das despesas. e gosto da liberdade, digamos assim, que a motocicleta oferece além do prazer e tudo mais que sobejamente sabido, penso muito na minha próxima, porque será a primeira vez que comprarei uma zerinho e cuido muito bem delas, de modo que não estou preocupado com o valor dela daqui a não sei quantos anos. Se me agradar, ela ficará comigo por muito tempo. Não tenho necessidade em trocar de ano em ano...

Bueno, enquanto não posso resolver certos problemas no momento, vou levando a vida, feliz, sim, firme, acreditando que Deus não dá uma cruz mais pesada do que o vivente possa arrastar, de maneira que devo estar passando por isto também para aprender coisas novas e valorizar mais a vida em si.

Deixo-te um abraço.
Pedro.


Última edição por Professor Pedro Massari em Sex 14 Jan 2011, 11:32, editado 1 vez(es)
avatar
Professor Pedro Massari

Data de inscrição : 25/12/2010
Idade : 63
Localização : Solidão - Mostardas - Rio Grande do Sul
Emprego/lazer : Professor - Ler, escrever, estar com pessoas agradáveis, praia, serra, viagens, fotografia...
Moto : Suzuki Intruder 125 vermelha

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pedro Massari: quem sou eu.

Mensagem por Duarte em Qui 13 Jan 2011, 22:01

Professor Pedro... ficou de seu agrado o ajuste?... se sim... é só aplicar o "quote" e ver a formatação!!!



Abçs

___________________________
Duarte (VG#001) SAO [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Fundador - Viageiros MT [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Amizade não se mede em cilindradas!!!

A Plantação é voluntária, mas a colheita é obrigatória!!!
(11) 4113-6963          ---         (11) 98595-0545
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] 
Ei! Você que me critica, vem fazer o que eu faço... no meio do caminho você vai sentir cansaço!!!
avatar
Duarte
Moderador

Data de inscrição : 15/12/2009
Idade : 57
Localização : Clientela da Quarta Vogal - São Paulo/SP - BR
Emprego/lazer : Advogado - Empresário: Correspondente Bancário CAIXA - Santander - Itaú --- Motocar!!!
Moto : Drag Star - 650cc - (A OUTRA)

http://www.fenixconsult.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pedro Massari: quem sou eu.

Mensagem por Edson Oliveira em Sex 14 Jan 2011, 01:12

Professor Pedro Massari escreveu:
Edson,
então encontrei um companheiro de muitas - e bonitas e boas - palavras!

Sim, responderei à mensagem sem o tal de "quote" pela trabalheira que dá. Quanto à formatação do texto neste troço aqui, particularmente gosto de justificado, negrito, fonte Georgia, cor vermelha.

Gosto tanto de vermelho, deste tom da Ferrari, da Coca-Cola, da bandeira da China que o bordô não me agrada. Preto e prata, também não. O curioso é que algumas marcas de motocicletas custom só oferecem o tal de preto! A Mirage 150 tem um azul bem simpático e aparecerá melhor nas fotografias que as outras duas cores escuras, razão por que estou optando por ela.

Buenas, falando em Mirage 150, e não estou fazendo propaganda aqui, tenho lido opiniões no sentido de ser mais interessante comprar uma motocicleta com mais motor e usada do que uma zero quilômetro com apenas 150cc.

Hoje isto vale para mim em relação ao automóvel, pois realmente andar num ser ar condicionado em dias de verão não há quem suporte, mas na motocicleta o vento será o mesmo. A usada dependerá de certa sorte, será mais pesada, portanto para um cara de baixa estatura e não lá muito forte, pesadona, enquanto uma zero 150 é feita sobmedida para mim que tem a necessidade psicológica de apoiar as plantas dos pés no chão, não só a unha crescida do dedão...

Quanto às minhas dificuldades, são elas financeiras em decorrência das crises depressivas que me impediram de ir à bendita escola e burocraticamente levar a papelama de médico psiquiatra "em tempo", resultando no óbvio corte de efetividade e salário.

Nestes meses todos de penúria, aprendi muita coisa - e melhor, longe do consultório! - incluindo uma compreensão madura deste Deus maravilhoso que é, sem dúvida, quem me mantém vivo.

Aprendi a ter paciência, a viver com menos de um salário mínimo, porém o que me incomoda nisto tudo não é o apertume e sim não poder pagar contas que ficaram pendentes, como a da motoneta que foi vendida para cobrir o que ainda faltava. Fiquei a pé, mas matei esta dívida....

Daí, para alguns, por isto aqui nada comento com ninguém, pensar em comprar uma moto nova parecerá mero sonho, mas eu sei como isto acontecerá e, obviamente, não me atirarei de ponta cabeça no tal de precipício da ânsia na primeira loja que encontrar.

Não! Eu venho "namorando" umas e outras. Mal comparando às mulheres, algumas destas são muito bonitas, mas só beleza - embora para Vinícius de Moraes ela seja fundamental - não é tudo, precisa ter também conteúdo, e, isto, na motocicleta, para mim, é o preço, é o tamanho, é a altura do banco, é a economia entre outros aspectos.

Assim, não aspiro e nunca aspirei a uma Gold Wind nem a uma Electra Gilda (?) ou outro mastodonte assim, muito pelo contrário, prefiro "las chiquititas". Ela não precisa ser "vistosa" para os outros babarem, mas pelo menos simpática. Não acho a M 150 a 9ª maravilha do mundo, inclusive há uma foto de uma Intruder 125 feita para os do Primeiro Mundo, no custom ponto com, que é uma maravilha de motocicleta! Bueno, quem não tem cão caça como gato... e a 150 me serve inclusive no bolso, e, contrariando a opinião alheia, não é motocicleta só para ir à praia ou ao supermercado. Pelo contrário: ela irá onde eu quiser ir, devagar e sempre, inclusive nas marginais do Tietê (devidamente escoltado por umas 1500 motos de vocês...) e depois, quem sabe?, para mais adiante, e mais ainda, pois, para mim, e descobri isto andando em motocicleta, o destino é o horizonte!

Sabes de uma coisa? "Sonhar" com a motocicleta nova se assemelha ao sonho do piá com a nova bicicleta do Natal... Mas o sonho materializa-se dentro das possibilidades materiais, de maneira que acredito, sim, ter sonhos. Eles embalam a vida e empurram-na à frente. Só não tem sonhos quem já morreu, e muitos que ainda estão vivos já morreram e não sabem... Ora, sonho, sim, com ela, porque neste lugar é ultranecessário ter um meio de locomoção próprio, e, como já não estou tão interessado em automóvel - a menos que encontrasse um que fizesse 40 km/l - por causa das despesas. e gosto da liberdade, digamos assim, que a motocicleta oferece além do prazer e tudo mais que sobejamente sabido, penso muito na minha próxima, porque será a primeira vez que comprarei uma zerinho e cuido muito bem delas, de modo que não estou preocupado com o valor dela daqui a não sei quantos anos. Se me agradar, ela ficará comigo por muito tempo. Não tenho necessidade em trocar de ano em ano...

Bueno, enquanto não posso resolver certos problemas no momento, vou levando a vida, feliz, sim, firme, acreditando que Deus não dá uma cruz mais pesada do que o vivente possa arrastar, de maneira que devo estar passando por isto também para aprender coisas novas e valorizar mais a vida em si.

Deixo-te um abraço.
Pedro.

Professor,
Esteja certo de que sua escrita me deixou lisonjeado, embora eu ainda tenha muito para aprender. Wink

É como sempre digo, escrevam "sem vergonhas" Laughing muito ou pouco, certo ou errado. Não deixem de treinar a escrita por vergonha ou preguiça, aqui somos todos eternos aprendizes. Quem sabe ensina, e quem não sabe, aprende, sem constrangimentos, nem comparações. Simples assim.

Voltando às motos, saiba que um novo integrante deste fórum, o royo, possui uma Mirage 150 Azul e participará pela primeira vez conosco do passeio à Boituva. De repente, pode ser uma boa, pedir para ele algumas dicas sobre a moto! Very Happy

Já tive uma FY250. Esta chinesa foi quem me abriu as portas para o mundo custom. Por esta razão, compreendo e compactuo com sua opinião de aquisição.

Sobre o sonho de piá, também já sonhei assim e, jamais dele desisti. Como a minha bicicleta nova não pôde vir em tempo hábil, realizei este sonho aos 37 anos de idade e a sensação, realmente fora indescritível e agradabilíssima. Eu a tenho bem conservada até hoje, inclusive, andei muito com ela em dezembro, enquanto a motoca repousava sob a capa de flanela na garagem.

Então fica aqui o meu depoimento, nunca desista de seus sonhos. Tenho outros à realizar, e jamais desistirei deles!


Edson Oliveira

Data de inscrição : 16/12/2009
Localização : São Paulo/SP
Emprego/lazer : Motociclista

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capa de flanela?

Mensagem por Professor Pedro Massari em Sex 14 Jan 2011, 10:33

Edson Oliveira escreveu:enquanto a motoca repousava sob a capa de flanela na garagem.



[/b]
Edson, bom dia. Espero que a chuva por aí tenha parado ou diminuído, enquanto aqui em Mostardas não cai um pingo sequer - e isto que chove nas redondezas...

Pois é, li o que o Royo escreveu - imagina, barbaridade! O cara quer fazer a pobre M150 voar baixo com garupa e tudo a 100 km/h! Mas bah! Entonces eu ficarei sempre na rabeira, porque não passo dos 80, quando a estrada oferece boas condições... Não digo? Sou uma raça em extinção! - Olhem! Lá vem o devagar & sempre! 71,3 km/h cravados! Nós já almoçamos, abastecemos, tiramos uma siesta, e agora que o cara vem chegando!

Pois tu disseste que tiveste uma FY-250, e, pode ser numa MP, gostaria da tua opinião sobre ela - parece-me que já não se vendem novas...

Falando em MP, enviei-te o endereço que pediste.

Escrever é tudo de bom, porém, se apenas usarmos as pontas dos dedos premindo teclas, perdemos um tanto na nossa coordenação motora para a escrita manual, de forma que preciso, também, usar de quando em quando a velha e boa esferográfica.

Acredito que deveria haver um novo tópico aqui no Viageiros dedicado à literatura motociclística com relatos de pequenos passeios e grandes viagens ou até mesmo crônicas que abordem a motocicleta de uma forma ou de outra.

Bueno, desejo a todos (e a todas também) que participarem do passeio a Boituva que aproveitem ao máximo - só não entendi uma coisinha: o cara que vai tem de saltar de parquedas?

Sendo assim, preferiria permanecer com os pés no solo, fotografando quem vem lá de cima... Evil or Very Mad

Abraços sinceros a todos, Pedro.

P.S.: Gostei da capa de flanela...



Última edição por Professor Pedro Massari em Sex 14 Jan 2011, 11:44, editado 4 vez(es)
avatar
Professor Pedro Massari

Data de inscrição : 25/12/2010
Idade : 63
Localização : Solidão - Mostardas - Rio Grande do Sul
Emprego/lazer : Professor - Ler, escrever, estar com pessoas agradáveis, praia, serra, viagens, fotografia...
Moto : Suzuki Intruder 125 vermelha

Voltar ao Topo Ir em baixo

Formatação complicadinha

Mensagem por Professor Pedro Massari em Sex 14 Jan 2011, 10:40

Duarte escreveu:Professor Pedro... ficou de seu agrado o ajuste?... se sim... é só aplicar o "quote" e ver a formatação!!!



Abçs

Duarte, bom dia. Meus textos apareceram formatados - foste tu que deste uma garibada na aparência deles? Não tenho mais conseguido deixar do jeito que quero, então canso depois de trocentas tentativas... Mas é só uma questão de gosto que curto, mais nada.

O uso do "quote" eu já domei, agora falta "domar" a cor da letra, o tipo de letra etc...

No más, um forte e sincero abraço do Pedro.


[justify]


Última edição por Professor Pedro Massari em Sex 14 Jan 2011, 11:56, editado 2 vez(es)
avatar
Professor Pedro Massari

Data de inscrição : 25/12/2010
Idade : 63
Localização : Solidão - Mostardas - Rio Grande do Sul
Emprego/lazer : Professor - Ler, escrever, estar com pessoas agradáveis, praia, serra, viagens, fotografia...
Moto : Suzuki Intruder 125 vermelha

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pedro Massari: quem sou eu.

Mensagem por Duarte em Sex 14 Jan 2011, 10:47

Professor, bom dia!

Fui eu sim... vá no texto que "dei a garibada" rsrsrsrsrs, e anote como está feito... vamos ver se sai aqui... [b][justify][font=georgia][color=red]

abçs

___________________________
Duarte (VG#001) SAO [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Fundador - Viageiros MT [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Amizade não se mede em cilindradas!!!

A Plantação é voluntária, mas a colheita é obrigatória!!!
(11) 4113-6963          ---         (11) 98595-0545
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] 
Ei! Você que me critica, vem fazer o que eu faço... no meio do caminho você vai sentir cansaço!!!
avatar
Duarte
Moderador

Data de inscrição : 15/12/2009
Idade : 57
Localização : Clientela da Quarta Vogal - São Paulo/SP - BR
Emprego/lazer : Advogado - Empresário: Correspondente Bancário CAIXA - Santander - Itaú --- Motocar!!!
Moto : Drag Star - 650cc - (A OUTRA)

http://www.fenixconsult.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pedro Massari: quem sou eu.

Mensagem por Duarte em Sex 14 Jan 2011, 10:48

Depois, no final fica assim [/b][/justify][/font][/color]

Wink

___________________________
Duarte (VG#001) SAO [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Fundador - Viageiros MT [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Amizade não se mede em cilindradas!!!

A Plantação é voluntária, mas a colheita é obrigatória!!!
(11) 4113-6963          ---         (11) 98595-0545
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] 
Ei! Você que me critica, vem fazer o que eu faço... no meio do caminho você vai sentir cansaço!!!
avatar
Duarte
Moderador

Data de inscrição : 15/12/2009
Idade : 57
Localização : Clientela da Quarta Vogal - São Paulo/SP - BR
Emprego/lazer : Advogado - Empresário: Correspondente Bancário CAIXA - Santander - Itaú --- Motocar!!!
Moto : Drag Star - 650cc - (A OUTRA)

http://www.fenixconsult.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pedro Massari: quem sou eu.

Mensagem por Professor Pedro Massari em Sex 14 Jan 2011, 11:54

Duarte escreveu:Depois, no final fica assim [/b][/justify][/font][/color] Wink



Duarte, dei uma ajeitada no texto anterior e saiu como queria. Acho que tenho de "escurecer" o texto cada vez que seleciono uma formatação... Fazendo a experiência com este aqui. Agora vou repetir a tal formatação de cima...

Abraços e obrigado
.
avatar
Professor Pedro Massari

Data de inscrição : 25/12/2010
Idade : 63
Localização : Solidão - Mostardas - Rio Grande do Sul
Emprego/lazer : Professor - Ler, escrever, estar com pessoas agradáveis, praia, serra, viagens, fotografia...
Moto : Suzuki Intruder 125 vermelha

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pedro Massari: quem sou eu.

Mensagem por Duarte em Sex 14 Jan 2011, 12:05

Ficou perfeito!!! Laughing Laughing Laughing

___________________________
Duarte (VG#001) SAO [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Fundador - Viageiros MT [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Amizade não se mede em cilindradas!!!

A Plantação é voluntária, mas a colheita é obrigatória!!!
(11) 4113-6963          ---         (11) 98595-0545
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] [Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] 
Ei! Você que me critica, vem fazer o que eu faço... no meio do caminho você vai sentir cansaço!!!
avatar
Duarte
Moderador

Data de inscrição : 15/12/2009
Idade : 57
Localização : Clientela da Quarta Vogal - São Paulo/SP - BR
Emprego/lazer : Advogado - Empresário: Correspondente Bancário CAIXA - Santander - Itaú --- Motocar!!!
Moto : Drag Star - 650cc - (A OUTRA)

http://www.fenixconsult.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pedro Massari: quem sou eu.

Mensagem por mercadante em Sex 14 Jan 2011, 14:19

Professor Pedro Massari escreveu:
mercadante escreveu:Depois de palavras como as tuas, fico-me envergonhado de escrever, o pouco que sei, pois humildade não me falta, más falta-me conhecimento e desta forma fico eu aqui a meditar em tuas palavras., Continue a nos brindar com seus textos e nos ensinando um pouco mais desta vida que nunca termina, apenas passa. Continuemos então.

Meu Amigo Mercadante;
descobri tardiamente o que significa um grupo de motociclistas: uma massa uniforme.

O que torna um grupo de pessoas de profissões, gostos, manias, idades, sexos, religiões, cores diferentes em uma "massa uniforme" é esta tal de motocicleta.

Eu estou aqui como aprendiz, como aluno de vocês, mas, quanto às palavras e à arte de as fazer bem entendidas, digo-te, aqui estou para ajudar a quem quiser e quem tiver dificuldades naquela tal de "redação", pois não posso guardar meu conhecimento apenas para mim.

Se eu cobrasse apenas R$ 0,01 por erro de português e de digitação, ficaria rico em pouco tempo, porém não estou aqui para ganhar dinheiro e sim para absorver conhecimentos motociclísticos e compartilhar o pouco que sei sobre duas rodas e rodovias.

Claro, se alguém desejar aulas via internet, oferecendo-se a pagar alguma coisa, não negarei, porque todo trabalho deve ser remunerado, todavia, se alguém quiser "dicas", dar-lhe-ei graciosamente em nome desta Amizade Motociclística que nos une e faz de nós seres mais humanos.

Não te acanhes, vivente! Não deixes de escrever! Se tens dúvidas, se queres aprender, escreve-me e pergunta-me, pois terei prazer em ajudar - e isto vale para todos.

Assim, agradeço-te tuas palavras e estou a meditar sobre o que enviaste.

Deixo-te um forte e apertado abraço, esperando, um dia, poder conhecer a ti e a todos, aqui ou aí, nesse Estado - bueno, já a Capital... não sei... somente escoltado por uma dúzia de vocês, porque não sou muito manso em trânsito urbano ainda mais desconhecido...

Escreve.

Pedro
[justify]


Meu caro Prof. Pedro.

E, esta massa, cresce cada vez mais, e quando percebemos, estamos tão envolvidos que não há mais como retornar. Forte abraço ao Sr.
avatar
mercadante

Data de inscrição : 08/01/2010
Localização : Carapicuíba-SP
Emprego/lazer : Motorista/ criar passarinhos

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pedro Massari: quem sou eu.

Mensagem por Professor Pedro Massari em Sex 14 Jan 2011, 15:19

Duarte escreveu:Ficou perfeito!!! Laughing Laughing Laughing

Duarte, obrigado, mas ainda estou levando uns laçassos desta coisa... mas um dia eu aprendo.

Buenas, a
braços. Pedro.
avatar
Professor Pedro Massari

Data de inscrição : 25/12/2010
Idade : 63
Localização : Solidão - Mostardas - Rio Grande do Sul
Emprego/lazer : Professor - Ler, escrever, estar com pessoas agradáveis, praia, serra, viagens, fotografia...
Moto : Suzuki Intruder 125 vermelha

Voltar ao Topo Ir em baixo

Massa contagiosa...

Mensagem por Professor Pedro Massari em Sex 14 Jan 2011, 15:30

mercadante escreveu:


Meu caro Prof. Pedro.

E, esta massa, cresce cada vez mais, e quando percebemos, estamos tão envolvidos que não há mais como retornar. Forte abraço ao Sr.



Mercadante, meu velho, como estás? Obrigado pelas tuas palavras. De fato, isto é um vírus horroroso - mas buenacho uma barbaridade, tchê! - do qual nós não queremos cura... A cura é o horizonte...

Abração, Pedro.
avatar
Professor Pedro Massari

Data de inscrição : 25/12/2010
Idade : 63
Localização : Solidão - Mostardas - Rio Grande do Sul
Emprego/lazer : Professor - Ler, escrever, estar com pessoas agradáveis, praia, serra, viagens, fotografia...
Moto : Suzuki Intruder 125 vermelha

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pedro Massari: quem sou eu.

Mensagem por mercadante em Sex 14 Jan 2011, 21:30

Professor Pedro Massari escreveu:
mercadante escreveu:


Meu caro Prof. Pedro.

E, esta massa, cresce cada vez mais, e quando percebemos, estamos tão envolvidos que não há mais como retornar. Forte abraço ao Sr.


Mercadante, meu velho, como estás? Obrigado pelas tuas palavras. De fato, isto é um vírus horroroso - mas buenacho uma barbaridade, tchê! - do qual nós não queremos cura... A cura é o horizonte...

Meu amigo Prof.

Por curiosidade, estive navegando no google e fui fazer uma visita em sua cidade. e a achei muito bonita,Toda plana e com ruas aparentemente muito boas, parece-me um Municipio todo quadriculado, e cergada de montanhas.
Gostaria de saber se possivel o nome da rua aonde o sr. mora, se possivel, é que gosto muito deste tipo de curiosidade. forte abraço do amigo deste lado
avatar
mercadante

Data de inscrição : 08/01/2010
Localização : Carapicuíba-SP
Emprego/lazer : Motorista/ criar passarinhos

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mercadante - cidade plana

Mensagem por Professor Pedro Massari em Sex 14 Jan 2011, 23:46

Mercadante, tudo bem? Não, a cidade como tudo ao redor é completamente plano, pois é a planície litorânea.

As ruas são ruins, calçamento antigo de pedra irregular, não há carro nem moto que aguente.

O endereço vai por MP.

Abraços, Pedro.
avatar
Professor Pedro Massari

Data de inscrição : 25/12/2010
Idade : 63
Localização : Solidão - Mostardas - Rio Grande do Sul
Emprego/lazer : Professor - Ler, escrever, estar com pessoas agradáveis, praia, serra, viagens, fotografia...
Moto : Suzuki Intruder 125 vermelha

Voltar ao Topo Ir em baixo

por onde anda o Professor Pedro Massari?

Mensagem por Cecília em Ter 18 Set 2012, 02:08

olá PessoALL,
por um acaso, alguém tem notícias do professor?
Talvez ele tenha se cansado de responder meus emails, mas não tenho notícias dele desde 07 de agosto e vi que última postagem dele em outro fórum foi no dia 03 de agosto. Estou um pouco preocupada, pois ele gosta muito de postar em fóruns e enviar emails...
Tentei contato via telefone, mas só cai na caixa postal e ao enviar torpedo a mensagem não chega lá.
Se alguém tiver alguma notícia, por favor, só me diga que está tudo bem com ele, ok?

'brigadão e abração

Cecília
avatar
Cecília

Data de inscrição : 31/07/2012
Idade : 47
Localização : SP-Capital
Emprego/lazer : quero me aposentar :) / passear de moto
Moto : garupa da V-Strom - Aoi

http://garupeirasolitaria.blogspot.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pedro Massari: quem sou eu.

Mensagem por Cecília em Ter 09 Out 2012, 22:47

olá PessoALL!
Consegui contato com o professor no sábado passado por telefone. Ele estava com problemas de conexão na Internet e está tudo bem com ele.

Obrigada e abraços a todos
Cecília
avatar
Cecília

Data de inscrição : 31/07/2012
Idade : 47
Localização : SP-Capital
Emprego/lazer : quero me aposentar :) / passear de moto
Moto : garupa da V-Strom - Aoi

http://garupeirasolitaria.blogspot.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pedro Massari: quem sou eu.

Mensagem por VG.ZUFFO em Qua 10 Out 2012, 02:50

Garupeira Solitária escreveu:olá PessoALL!
Consegui contato com o professor no sábado passado por telefone. Ele estava com problemas de conexão na Internet e está tudo bem com ele.

Obrigada e abraços a todos
Cecília

Ola Cecília,

ótima notícia!!!
Já estávamos sentindo falta do Prof.Pedro por aqui!!!

Valeu... cheers cheers

___________________________
VG.ZUFFO (VG #11) - PIRA
Presidente
"Amizade não se mede em cilindradas"
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
avatar
VG.ZUFFO

Data de inscrição : 12/10/2010
Idade : 51
Localização : Pirassununga/SP
Emprego/lazer : Funcionário Público / Moto Turismo
Moto : BMW R1200 GS - Matilda

http://www.viageiros.org

Voltar ao Topo Ir em baixo

Vivo, enfim...

Mensagem por Professor Pedro Massari em Qua 10 Out 2012, 09:07

[b] Bom dia a todas e a todos.

Depois de um longo período de um silêncio forçado pela demência tecnológica deste laptop, ainda tive de aguardar a boa vontade de os caras da mesma loja que provê a internet quanto o conserto virem ver o que estava havendo para esta coisa funcionar.

Como nada é burocrático neste país, e, para "simplificar" a situação, meu rico celular pifou, e fiquei alienado mais do que nunca, obrigando-me a rodar 60 km até a cidade, a fim de que fosse possível comunicar-lhes a bela ausência da internet.

Mas, graças ao bom Deus, estou vivo, sim, talvez mais vivo do que nunca, tanto por um passeio feito às pressas e sem lá grandes planejamentos e com o máximo de dinheiro que eu dispunha e que ficou mínimo durante o rodar, ocasião na qual fui brindado com uma supermassa geladíssima da Patagônia (no mínimo) e mais a chuvinha fininha gelada que uns diziam ser uma nevezita derretida, enfim, coisas assim que me faz lembrar de minha cama bem quentinha lá em Mostardas, mas queria chegar à cidade de Lajeado via a Rota do Sol, cruzando trechos de muito movimento entre Caxias do Sul e Bento Gonçalves - coisinha mínima para vocês de São Paulo, coisona grande para quem estava dopado com uma estrada reta e plana e de pouco movimento... -, apenas para ver de perto, numa loja da Traxx, um modelo deles... Coisa de absoluto doido sem recuperação, acreditem...

Foi difícil? Sim, foi. Foi como eu sonhava? Não, porque não pude parar para muitas fotos dada as más condições do tempo e as poucas que fiz terminei apagando sem querer da câmara nem sei por quê, talvez para me obrigar à boa penitência de refazer o percurso com mais tempo, mais dinheiro e mais sol...

Buenas, o que importa é que desencatei a motocicleta e o motociclista preso em si mesmo e arrodeado de fantasmas para as bandas de Osório e enfrentei lugares por mim nunca dantes rodados, fazendo a Intrusa subir serras e fazer curvas de cotovelo com o máximo cuidado, porém assim mesmo vi muitas e lindas paisagens para as quais agradeci, como agradeço, ao nosso Bom Deus por elas estarem ali, enebriando minha alma de motociclista. Conheci gente simples com quem muito aprendi sobre a região dos "gringos", lugar onde gostaria de morar, saindo de vez do litoral, entretanto não pude visitar as cidades que ficarão para o momento oportuno no qual eu faça o "Grande Roteiro pelas Localidades de Imigração Italiana no Rio Grande do Sul" com o intuito principal de o dividir em pequenos roteiros de final de semana para que pessoas simples com motos pequenas e simples possam descobrir as belezas de um verdadeiro mototurismo bom e barato, de preferência que o façam não solitos como eu, porém em pequenos e ordeiros grupos, onde, espero eu, possam reafirmar a boa amizade entre si ou até iniciarem relacionamentos com pessoas que porventura encontrem no grupo ou nas localidades visitadas - sem querer ser um Cupido para ninguém.

Mas foi no retorno de Lajeado, no outro dia, saindo de lá com sol, que vim rearquitetando minha vida aqui neste lugar chamado Solidão e de cuja denominação já estava me impregnando da própria solidão, de modo que vim falando comigo mesmo e tentando elevar os pensamentos para a boa Turma do Céu com os quais desejava viver em paz de novo por aqui até que as coisas se ajeitassem para melhor, despertando um carinho mais sincero e especial por este povo sofrido e por aquela cidade ali a 60 km daqui a qual tenho difundido através destes textos e das fotografias.

Agora é que me dei conta de que este texto está no local errado do fórum... Pois, no município de São Francisco de Assim, às margens da RS 453 ou Rota do Sol, existe um distrito conhecido por mim na ida, onde pernoitei por meros 10 pilas numa casa de uma senhora que me alugou o quarto e onde desejava pernoitar de quinta para sexta-feira, de onde saí também com um belo sol que se transformaria numa chuvarada açoitada por um vento mais forte dos que estes desta planície litorânea sem que eu pudesse sequer parar a moto e pegar as calças de chuva - a jaqueta do conjunto, na minha rica e falível opinião, estava emprestada a uma pessoa, embora a dita estivesse dentro de uma sacola de mercado - e assim fui lutando contra ventos e chuva gelados até um paradouro no distrito de Aratinga, também pertencente ao mesmo município referido anteriormente para me aquecer com um simples café, já que a grana que ainda tinha mal daria para abastecer a moto em Osório, onde eu precisava chegar para conseguir emprestado com um bom amigo pelo menos mais uns 50 pilas...

Foi neste paradouro, onde havia conhecido um bom homem chamado José, que almocei uma marmita de alumínio com uma comida excelente, oferecida por ele e por algumas funcionárias, de maneira que tudo isto me faz crescer minha fé neste nosso Bom Deus e nas pessoas boas que ainda existem por aí.

De Osório em diante tive de não rodar mui devagar para não pegar o escurinho da tardinha nas proximidades da Solidão, mas não tive muita sorte e ainda encontrei trechos esburacados novamente por causa das chuvas que decerto abundaram por aqui também. Resultado: chegamos, eu, a motocicleta e meus anjos da guarda todos bem, embora cansados desta aventura que rendeu mais uns 970 km no meu currículo rodado...

Relato isto por cima, porque a razão de tudo isto é agradecer de coração a todos, tanto dos Viageiros como os do Motocustom-Vírus pelas preocupações em relação ao meu sumiço, fazendo-me assim repensar que eu no fundo não ando sozinho, mas com a presença de vocês que me vem à lembrança como que a transmitir telepaticamente as belezas do passeio - mesmo quando açoitado pelos impiedosos ventos serranos e com 15 pilas no bolso. E termino aqui dedicando isto tudo a Deus, sem muitas delongas, pois Ele já sabe que estou sendo sincero.

Abraços cordiais a todas e a todos, Pedro. Very Happy
[color:4b22=red]
avatar
Professor Pedro Massari

Data de inscrição : 25/12/2010
Idade : 63
Localização : Solidão - Mostardas - Rio Grande do Sul
Emprego/lazer : Professor - Ler, escrever, estar com pessoas agradáveis, praia, serra, viagens, fotografia...
Moto : Suzuki Intruder 125 vermelha

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pedro Massari: quem sou eu.

Mensagem por VG.ZUFFO em Qua 10 Out 2012, 18:07

Grande Professor Pedro,

que bom saber que está tudo bem com o senhor e que, de uma forma ou outra, continua a desbravar as estradas da nossa querida região Sul do país!!
Logo, um casal Viageiro estará por aí para transmitir o nosso abraço.

Grande abraço... cheers cheers

___________________________
VG.ZUFFO (VG #11) - PIRA
Presidente
"Amizade não se mede em cilindradas"
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
avatar
VG.ZUFFO

Data de inscrição : 12/10/2010
Idade : 51
Localização : Pirassununga/SP
Emprego/lazer : Funcionário Público / Moto Turismo
Moto : BMW R1200 GS - Matilda

http://www.viageiros.org

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pedro Massari: quem sou eu.

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você pode responder aos tópicos neste fórum